11
janeiro

O BBB da era digital. Na internet você também está sendo espiado.

Certamente você já ouviu aquele velho ditado que diz “quando a esmola é muita o santo desconfia”.

Ultimamente tenho refletido muito sobre esse velho e sábio provérbio; tamanha é a enxurrada de banners, spams, e-mails de amigos e também de pessoas que nunca ouvi falar e outros milhares de materiais promocionais que anunciam o paraíso do mundo do “é de grátis” ou o de levar vantagem em tudo. A famosa Lei de Gerson.

São brindes disso, acessos daquilo, moedas e pontos virtuais – teve até o já nem tão famoso “Linden Dollar” no mundo virtual Second Life – formulários gigantescos nos quais você tem que contar praticamente a sua vida inteira para ganhar o brinde ou apenas participar da promoção com expectativa de ganhar o prêmio principal. Parecem até interrogatórios da KGB. E para que tudo isso? Mouse pads, camisetas, descansos de tela, fotos dos produtos, etc. Tudo bem, tudo bem, existem os concursos e sorteios de apartamentos, casas na praia, eletrônicos, ouro e até mesmo dinheiro real. E, se a promoção é pelo celular, o número desse universo chega a potenciais 170 milhões de participantes!

O internauta desavisado não percebe que está fornecendo aos ofertantes de brindes o que há de mais valioso nos dias de hoje. Ou seja, está dando de lambuja seus dados cadastrais, pessoais, bancários, financeiros, salariais, quem sabe suas preferências sexuais e até mesmo seus hábitos de consumo em troca de uma chance em milhões de ganhar alguma coisa. Por menor que seja essa coisa. O negócio é se dar bem! Esses dados refletem a sua reputação no mundo real e no virtual.

Caríssimos amigos, vivemos na época da Quarta Onda – A Era da Informação – Quem detiver maior quantidade de dados, souber tratá-los de forma a virarem informações refinadas e de alto nível de precisão com grande poder de fogo, certamente ganhará a guerra, ooops, quer dizer, “o jogo”.

Imagine a seguinte situação:

Vamos dizer que modicamente no ano passado você participou de uma promoção de internet por mês. Brasileiro é “viciado” em promoções. E que tenham sido de doze diferentes empresas. Note que por no mínimo em 12 oportunidades seus dados foram enviados a gigantes do mercado mundial de bens de consumo. Em um foi informado seu salário, em outro quantas TVs você tem, se você já comprou na grande rede, qual foi a forma de pagamento, quando irá comprar novamente. O quê, quando, quanto, onde, por quê e assim por diante.

Digamos que nesses 12 preenchimentos você e algum familiar seu estejam participando simultaneamente em quatro. E que nesses quatro, dois sejam de um mesmo grupo empresarial. Pronto, basta cruzar os seus perfis de consumo e renda para que esse grupo identifique todos os seus hábitos e possibilidades financeiras para começar a te empurrar e te tentar quase que diariamente com os maravilhosos produtos que ele vende e/ou fabrica. É praticamente certo que em um dado momento você não resista mais e realize a compra de pelo menos um alfinete dele. Você não resistirá a tamanha tentação e, impulsivamente, comprará algo via web.

Você e também os outros 70.000.000 de internautas tupiniquins. Você acaba de perder o jogo, game over, e ainda acha que fez um bom negócio. Não percebe que foi totalmente manipulado e induzido a uma compra impulsiva e compulsiva. O pior é que ainda pagou o famoso frete. Mas saiba que compras feitas pela internet garantem, de acordo com a nossa legislação, 7 dias de arrependimento dando direito ao consumidor de devolver o produto e receber o dinheiro de volta.

E no dia seguinte começa tudo de novo.

Outro meio muito “interessante” de coleta de hábitos dos internautas é realizado através dos famosos softwares spyware ou super cookies. É isso aí mesmo, spy de espião, sim. Tais programas espiões catalogam tudo o que o internauta incauto faz. Quem não gosta de baixar música de graça na internet? Isso era e ainda é disponibilizado “de grátis” pelos softwares de comunicação mundial em rede peer-to-peer de compartilhamento de arquivos MP3 e vídeos. Lembra do pioneiro Napster que foi desenvolvido pelo Shawn Fanning lá em 1999? Pois é, para quem viu o filme A Rede Social deve ter percebido que hoje o Shawn está lá no Facebook como um dos sócios de Mark Zuckerberg. E quem semanas atrás foi acusado de rastrear dados dos usuários mesmo após o término de seu uso? O próprio Facebook, que está bem perto de atingir 1 bilhão de pessoas ao redor da Terra.

O que muita gente não sabe é que quando esses programas de compartilhamento estão ativados e minimizados realizando uploads e downloads, provavelmente tudo que você estiver fazendo on-line está sendo registrado tim-tim por tim-tim. Tais registros são catalogados e indexados, por exemplo, por data, e dizem respeito a sites visitados, seus próprios downloads e uploads, links que você gravou em seus favoritos, a quantidade de tempo que ficou em todos os sites, seus softwares instalados, arquivos e por aí vai. Os produtores desses polêmicos programas dizem que não medem isso. Acreditem se quiser. Há pouco tempo descobriu-se que os smartphones mais badalados registravam até os seus dados de GPS captando registros dos caminhos que você faz diariamente. Até mesmo podendo rastrear as lojas que você entrou e quanto tempo você ficou lá dentro.

Bem, após o catálogo de informações recolhidas estar preenchido com seus dados, os mesmos são enviados através da sua própria conexão aos servidores dos desenvolvedores dos spywares e dos programetas de compartilhamento ponto a ponto. Os “de grátis”. Daí é uma questão de tempo serem filtrados, tratados, refinados até virarem informação da boa e serem vendidos acompanhados dos outros dados de milhões de pessoas por pequenas importâncias de milhares de dólares. E quem está comprando? Sim, os mesmos grupos que sorteiam carros, casas, DVDs,…

DICA

Com a tela do seu navegador aberta pressione ao mesmo tempo as teclas <ctrl> <shift> <del> sempre que terminar de usar a internet. Assim todos os dados da sua navegação serão apagados. Ou então configure o seu browser para fazer isto automaticamente sempre que você fechá-lo

 

 

A Ideia3 Comunicação não se responsabiliza pelas opiniões dos autores convidados. O conteúdo de cada artigo é de única e exclusiva responsabilidade do autor.

 


*O conteúdo de cada artigo postado neste blog é de exclusiva responsabilidade do autor.
Postado por Ideia3 Comunicação às 10:43
2Comentários

Comentários

Nathália Villar disse:

Comentário realizado em 11 de janeiro de 2012 às 11:07

Uma outra excelente opção é instalar o programa Ccleaner que faz uma “limpeza profunda” no computador, melhorando o desempenho e evitando a espionagem. Fica a dica!

Mel Oliveira disse:

Comentário realizado em 11 de janeiro de 2012 às 15:49

Importante ressaltar não só a segurança em histórico de navegação, mas também em redes sociais. Precisamos ficar atentos a tudo que publicamos em nossos perfis e quem são nossos “amigos virtuais”. Usar filtros de conteúdo para publicação em timelines e restringir seus posts a grupos segmentados pode ser uma saída interessante para que suas opiniões, fotos e vídeos pessoais não circulem com má fé pela internet.

Deixe seu comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios estão marcados com *.

Salvador » 71 3273.3333 | São Paulo » 11 2626.5333
Rua Alceu Amoroso Lima, 470 - Caminho das Árvores - Salvador/BA
Opus Comunicação